-

[Resenha] Os Vingadores: Mundo de Vingadores

HQ: Os Vingadores: Mundo de Vingadores.
Editora: Panini Comics.(Marvel)
Roteiro: Jonathan Hickman
Ilustrações: Jerome Opeña (1-3) Adam Kubert (4-6).
Páginas:148.
Nova Marvel.
Tempo de leitura:3 dias
Edição especial que reúne as edições 1 a 6 de Avengers.
Sinopse:Juntos Numa Equipe Invencível! Os Vingadores “pensam grande”, expandindo suas fileiras e sua esfera de influência para uma escala global e até interplanetária. Quando o Capitão América fizer seu chamado, quem irá responder? As respostas vão surpreendê-lo! A primeira missão dos Vingadores leva os heróis a Marte, mas os segredos do Jardim os levarão de volta a seu planeta natal, mais especificamente à Terra Selvagem! E, quando a Guarda Imperial de Shiar é destroçada numa lua morta, os Vingadores atravessam a galáxia para enfrentar uma força de invasão. Tudo isso leva à origem secreta do próprio universo, e a Capitã Universo se apressa em decifrar o código escondido nas aventuras recentes dos Vingadores! Jonathan Hickman leva os Heróis mais Poderosos da Terra a um novo patamar, com ameaças gigantescas, grandes ideias e enorme idealismo.
Desde de que entrei aqui no blog nunca mencionei nada a respeito da minha paixão por HQ's e super heróis, pelo fato de estar sempre escrevendo apenas resenhas de livros, mas dessa vez venho contar pra vocês um pouco sobre esse maravilhoso hq publicado pela Panini Comics,  e aproveitar o embalo em que todos nos fãs desse universo Marvel estamos por causa de Capitão América:Guerra civil, em abril nos cinemas(Abril chega logo!!)
Quando eu vi que a Panini lançou esse hq não via a hora de te-lo em mãos, essa edição reúne as edições de 1 a 6 de Avengers escrita por Jonathan Hickman, é uma edição de capa dura e as Ilustrações estão lindas, e a fontes em bom tamanho pra ler.
"Foi a fagulha que acendeu o fogo...uma lenda que cresceu ao ser contada" Pág -73 
"Heróis fazem os outros acreditarem que podem fazer grandes coisas. Heróis fazem heróis" Pág - 116 
"As vezes, quem fomos nossa vida inteira é apagado num único dia.Ou por um único evento" Pág - 124
Em Os vingadores:Mundo de Vingadores, o grupo já conhecido de vingadores (Capitão América, Homem de Ferro, Gavião Arqueiro, Viúva Negra, Hulk e Thor) vão para Marte,onde se deparam com os segredos do jardim e uma nova força que julga a terra como digno de evoluir, mas essa evolução não é tão favorável, vendo essa questão o grupo de heróis tentam impedir que essas ameaças cheguem à terra, mas as coisas acabam saindo fora de controle resultando em só o Capitão América conseguir voltar para a terra, mas como os vingadores pensam grande e estão se expandindo, mas heróis se juntaram a equipe, quando o capitão fizer o seu chamado, heróis de diversos jeitos e situados em lugares diferentes atenderam o chamado porque todos vão se tornar Vingadores! E juntos com o Capitão eles retornaram a Marte, e depois sua missão os levam à terra selvagem.  Admito que alguns dos novos heróis que foram apresentados nessa edição eu não conhecia tão bem, então tive que fazer uma pesquisa mais a fundo sobre eles e entender sua história melhor, mas personagens como Wolverine, Homem-Aranha, Hipërion eu amei vê-los nessa edição. Homem-Aranha como sempre faz toda a diferença como de costume na história sempre quando aparece com seu bom humor. Cap como sempre com sua grande convicção, idéias e dilemas.


Por conter seis edições em uma a história vai se alternado entre os personagens, e apresentando também um pouco sobre a história de alguns novos vingadores como: Esmagadora, Hipërion, Capitã Universo.
A leitura consegue fluir de forma rápida, é difícil querer largar(risos) a cada página a gente se encanta mais com os vingadores e sua nova formação. É um hq muito bem construído e que super indico. Panini está de parabéns!


[Resenha] A playlist da minha vida

Titulo: A playlist da minha vida
Autor(a): Leila Sales
ISBN-13: 9788525057549
ISBN-10: 8525057541
Ano: 2014 / Páginas: 312
Editora: Globo Livros
Adicionar ao SKOOB

Sinopse:Elise Dembowski nunca foi popular na escola. Ninguém conversava com ela na hora do intervalo nem a convidava para sair no fim de semana. Pior. Ninguém jamais se interessou em saber o que tanto a ela escutava em seu iPod: playlists com o melhor da música pop, único território em que Elise se sente confortável e confiante. Diante de seu desajuste em relação à maioria, a adolescente tenta de tudo – inclusive a mais radical das saídas, felizmente sem sucesso. No auge de seu solitário desespero, o acaso a leva até a porta de uma balada noturna, via de acesso para um mundo completamente novo, cheio de som e diversão, no qual sua veneração por música funciona como senha para inclusão em um inédito círculo de amizades. As festas noturnas do Start – o melhor clube underground do mundo – tornam-se o lugar onde a felicidade, a aceitação social e até o amor são possíveis para Elise. Não demora muito para que um misterioso bullying eletrônico e a habilidade da garota como DJ coloquem em confronto este universo com a dura realidade cotidiana.


Eu já havia me deparado com A playlist da minha vida algumas vezes e sempre pensava:Esse livro pode ser legal e agora eu percebo o quanto errada estava em pensar assim,totalmente errada! O livro não é simplesmente legal, não é apenas uma história cliché que trata a vida de mais uma adolescente problemática com tantos outros,  não!
Elise é a típica garota nada popular da escola (Cliché? Um pouco, talvez, as aparências enganam, risos)não tem amigos e é alvo constante de bullying na escola,a vida parece não muito legal para Elise, até pensar na mais radical das possibilidades ela já pensou, até que em uma noite em meio as suas caminhadas noturnas ela descobre um galpão onde acontece festas noturnas o melhor clube underground à Start.

"As pessoas são aquilo que são. Não importa o quanto você tente, é impossível transformá-las naquilo que você quer que elas sejam." 
" Às vezes, temos aqueles dias em que tudo dá errado. Mas, às vezes, alguma coisa pode dar certo da maneira mais inesperada possível."
Eu gostei da Elise, embora no começo eu fiquei pensando:Ela se importa demais com o que os outros pensam, as vezes sentia vontade de entrar na história e gritar com ela: Elise não se importe, viva! (Impossível eu sei, mais parece até que ela me ouviu risos, risos...) Mas ao mesmo tempo que isso me irritava eu entendi de certa maneira,eu entendi a Elise, sua conexão com a música, e a história fica cada vez mais interessante quando Elise descobre a Start, lá ela vê um mundo totalmente desconhecido onde ela pode brilhar, fazendo com que todos realmente conhecem a verdadeira Elise.
Mel,Vicki, Felipe foram um show a parte, os capítulos em que a Vicki aparecia era os que eu mais gostava, me peguei várias vezes com um sorriso no rosto com essa turma.

" — E o que você tem? Talento ou problemas?
Parei por um momento e pensei a respeito.
— Os dois — eu disse finalmente."
Em cada capítulo temos a citação de uma música e confesso que algumas músicas e bandas citadas eu não conhecia,o que me fez sair um pouco da minha zona de conforto e descobrir músicas que até então eram desconhecidas pra mim e que agora estão na lista de mais ouvidas no celular.
O desenvolvimento da Elise durante a história foi bom, o final foi uma grande surpresa pra mim, achei que terminaria de um jeito mas a autora conseguiu surpreender, e ela acertou em cheio. A playlist da minha vida é aquele tipo de livro em que a leitura flui de forma fácil, uma leitura leve e descontraída, mesmo trazendo assuntos bastante delicados, não me arrependi de ter lido e sim por não ter lido antes.

Tempo de leitura: 3 dias.



[Resenha] No mundo da Luna

Titulo: No mundo da Luna
Autor(a): Carina Rissi
ISBN-13: 9788576863021
ISBN-10: 8576863022
Ano: 2015 / Páginas: 476
Editora: Verus Editora
Adicione ao SKOOB

Sinopse:A vida de Luna está uma bagunça! O namorado a traiu com a vizinha, seu carro passa mais tempo na oficina do que com ela e seu chefe idiota vive trocando seu nome. Recém-formada em jornalismo, ela trabalha como recepcionista na renomada Fatos&Furos. Mas, em tempos de internet e notícias instantâneas, a revista enfrenta problemas e o quadro de jornalistas diminuiu drasticamente. É assim que a coluna do horóscopo semanal cai em seu colo. Embora não tenha a menor ideia de como fazer um mapa astral e não acredite em nenhum tipo de magia, Luna aceita o desafio sem pestanejar. Afinal, quão complicado pode ser criar um texto em que ninguém presta atenção? Mas a garota nem desconfia dos perigos que a aguardam e, entre muitas confusões, surge uma indesejada, porém irresistível paixão que vai abalar o seu mundo. O romance perfeito se não fosse com o homem errado. Sem saída, Luna terá que lutar com todas as forças contra a magia mais poderosa de todas, que até então ela desconhecia: o amor.


O que dizer sobre um livro de Carina? Tantas palavras me vêm à cabeça: Perfeito, Maravilhoso, apaixonante.♡
Carina se tornou uma das minhas autoras preferidas desde quando li Perdida, e ainda fico me perguntando o porque demorei tanto para ler No mundo da Luna, assim como em todos os outros livros que li dela foi amor a primeira página lida!
Luna é jornalista recém formada, que trabalha na renomada Fatos&Furos,  mas não escrevendo sua própria coluna-como tanto deseja e sonha-mas sim como recepcionista, mas as coisas não andam muito boas, já que a revista passa por um período difícil, o que resulta em a coluna de horóscopo cair em seu colo,mas como escrever uma coluna de horóscopo se nem ao menos se sabe fazer um mapa astral e sem acreditar em nenhum tipo de magia? Mas Luna aceita de imediato já que esse pode ser uma grande oportunidade e um meio caminho andado até sua coluna dos sonhos.
Eu me diverti com a Luna desde o primeiro capítulo,  ela simplesmente conquista, me peguei rindo com ela várias e várias vezes, foi difícil parar de ler, minha vontade era varar a madrugada lendo-mas como nem tudo é possível...-cada capítulo ficava ainda mais presa a história.
"Dizer não basta. Não é o suficiente, não tem valor algum. O próprio Igor deixou claro. Palavras desaparecem, as ações, os gestos é que realmente contam." 
"A gente não conhece uma pessoa até saber o que ela gosta de ler"


É o que dizer de Dante? É claro que Carina sabe escrever um bom personagem masculino que consegue roubar os nossos corações, mas Dante? Eu estou simplesmente encantada com ele-Me desculpe Sr Clark, por mais que você tenha me feito suspirar com seu cavalheirismo e romantismo, Dante roubou o meu coração! - Dante não me encantou pelo simples fato de ser uma gato, cavalheiro também, mas o que me fez ficar "Dante porque você não existe? " foi pelo fato de ele ser um completo nerd, fã de HQ's, super heróis gente ele é tão fofo e amável, quando as nerdices de Dante começam a ser citadas no livro eu fiquei Você é o meu cara dos sonhos!
Os personagens secundários também são incríveis,gostei de quase todos-quase!- Alguns como de costume odiei (risos). A relação de Luna com ser irmão me fez rir bastante porque lendo os capítulos em que o Raul aparecia e ele e Luna sempre acabavam tendo uma briguinha boba de irmãos me identifiquei com a minha relação com o meu maninho.
A trama é muito bem construída e desenvolvida,  não há pontos negativos a apontar mais se tratando de Carina Rissi já era de se esperar, ela não decepciona em nenhum momento apenas coloca uma louca vontade de querer chegar até a última página e depois se lamentar porque acabou muito rápido, eu posso ficar escrevendo e escrevendo sobre como esse livro é encantador e como me apaixonei por todos os detalhes e......mas ai a resenha ficaria imensa, então se você leitora ou leitor se interessou por No mundo da Luna, não perca tempo leia! Se você já leu os outros títulos da autora e gostou então leia No mundo da Luna! Leia! Porque você vai entrar No mundo da Luna!

Tempo de leitura: 4 dias

CONTO EXTRA FEITO COM TODO CARINHO PELA AUTORA.

Sucesso de público, No mundo da Luna acaba de ganhar um conto exclusivo no formato digital. Este eBook é dado de presente a todos os leitores que procuram saber um pouquinho mais sobre a vida de Luna Braga. Ela já tinha um emprego quando sua história começa. Mas como foi que conseguiu entrar na tão sonhada revista Fatos&Furos;? Sua divertida entrevista de emprego é uma das cenas favoritas da Carina Rissi.





[Resenha] Extraordinário

Titulo: Extraordinário
Autor(a): R.J. Palacio
ISBN-13: 9788580573015
ISBN-10: 8580573017
Ano: 2013 / Páginas: 320
Editora: Intrínseca
Adicione ao SKOOB

Sinopse:August (Auggie) Pullman nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso ele nunca frequentou uma escola de verdade...até agora.
Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.


Eu já tinha escutado vários leitores falando muito bem de Extraordinário, mais sempre ficava adiando a leitura,  até que Extraordinário se encaixou perfeitamente na minha meta de leitura de Janeiro, e agora eu me arrependo de não ter lido antes, como o próprio título já diz é Extraordinário.
O livro conta a história de August (Auggie) um garoto de dez anos que nasceu com uma síndrome rara cujo a sequela é a deformidade na face. Auggie tem dez anos e nunca frequentou uma escola, devido as várias cirurgias que passou, então sua mãe decide que já é a hora do menino começar a frequentar a escola, do que ter aulas em casa.


O que mais gostei nesse livro foi o modo em que ele foi narrado em primeira pessoa pelo Auggie, que é simplesmente um amor de garoto fiquei e ainda estou encantada por ele, mas o livro também é narrado por mais personagens o que fica mas interessante pois  possibilita saber mais afundo o que cada personagem pensa, sente, suas atitudes,simplesmente extraordinário, não tenho nenhum ponto negativo para apontar pois o livro é uma leitura leve e fácil, não é aqueles livros que deixam o leitor cansado a ponto de ter que deixar o livro de lado e voltar pra ler depois, Extraordinário faz com que a gente queira ler cada vez mais, a cada página o livro fica ainda melhor os personagens são tão bem construídos que ficamos presos a história de verdade, sentimos o que Auggie sente, ficamos felizes quando ele está feliz, e assim um misto completo de emoções.


Extraordinário faz jus ao gênero Sick Lit, é um livro com uma grandeza enorme que trata assuntos importantes, que mexem com nossa estrutura tudo isso através de uma garotinho de dez anos, então tudo o que tenho que falar é: Extraordinário é um livro que todos deveriam conhecer é uma obra diversa feito tanto para crianças,  jovens e adultos, então se você está curioso em relação ao livro, não espere tanto tempo, leia! Leia! Não vai se arrepender.

"Quando tiver que escolher entre estar certo e ser gentil, escolha ser gentil" 
"A grandeza não está em ser forte,mas no uso correto da força...Grande é aquele cuja a força conquista mais corações pela atração do próprio coração"

Tempo de leitura: 1 dia.



[Resenha] Um amor de cinema

Titulo: Um amor de cinema
Autor: Victoria Van Tiem
ISBN-13: 9788576863342
ISBN-10: 8576863340
Ano: 2014 / Páginas: 294
Editora: Verus
Tempo de leitura: 2 dias
Nota:4,5 

Sinopse:"Neste irresistível romance, Kenzi Shaw, uma designer fanática por filmes, é lançada nas águas turbulentas do amor - ao estilo de Hollywood - quando seu lindo ex-namorado lhe propõe uma série de desafios relacionados a comédias românticas para reconquistar seu coração. Que garota não gostaria de vivenciar a cena das compras de Uma linda mulher? É o desafio número dois da lista. Ou tentar fazer os passos de dança de Dirty dancing? É o número cinco. Uma lista, dez momentos românticos de filmes e várias aventuras depois, Kenzi se pergunta: ela deve se casar com o homem que sua família adora ou arriscar tudo por um amor de cinema?"



Um bom livro tira o nosso sono e eu realmente amo quando isso acontece e foi justamente isso que aconteceu com Um amor de cinema, fiquei acordada lendo e me surpreendi com essa historia.Achei que seria uma historia totalmente sem graça mais me enganei.
O livro conta a historia de Kenzi, uma mulher de vinte nove anos que tem aparentemente tudo pra ser feliz, acaba de ficar noiva, tem a aprovação da família tanto para o casamento como para o noivo, mais a atenção que ganha para por ai já que sua família parece se importar mais com seu irmão e sua cunhada Ren, que sempre está um passo a frente em tudo.
Kenzi trabalha como designer numa agência com seu noivo Bradley, e suas duas melhores amigas Ellie e Tonya (Tonya como a própria personagem já á descreve é uma iniamiga) e tudo parece ir bem no trabalho, até que Kenzi descobre que a agência está passando por uma crise financeira e haverá cortes, e seu emprego é posto em risco, colocando Kenzi dependente de um fechamento de contrato com um cliente para salvar seu emprego.
E esse cliente é justamente Shane seu ex-namorado, cujo o termino não foi dos melhores e que ela ainda guarda alguns ressentimentos do passado. Eles namoraram durante uns anos na época da faculdade, ele a traiu e depois foi embora sem dar explicações ou se desculpar. Mais agora Shane está de volta e vai abrir um restaurante com a temática cinema e quer que além de fazer o trabalho como designer de market, Kenzi reviva com ele as cenas de dez comedias românticas. É isso mesmo! Reviver as melhores cenas de comedias românticas! E o pior? Talvez não tão pior assim, Kenzi é completamente apaixonada por comedias românticas.
E é a partir desse ponto que a historia realmente começa, Kenzi entra em uma confusão atrás da outra,entre risos, choro e muita comedia romântica fica impossível querer largar o livro. Se eu gostei do livro? HaHa! Obvio!

Fazia algum tempo que eu não me deparava com um livro assim, leve e ao mesmo tempo divertido, a leitura flui muito bem, e é claro que a historia conta com personagens que a gente ama logo de cara e outros que detestamos,pelo menos esse foi o meu caso. Ren foi uma personagem que eu gostei, mesmo a Kenzi tento conflitos com ela, Ellie? Eu gostaria de ter uma amiga como ela, já Tonya foi uma personagem que logo de cara já detestei (risos).
A Kenzi no começo me deixou meio apreensiva, pois era uma personagem que se importava muito com aprovação da família dela, e em agradar todos, as vezes esquecendo um pouco de si própria e o que ela realmente queria, mais conforme a leitura vai fluindo acompanhei o crescimento e a evolução da personagem, a Kenzi começa de um jeito e termina de outro, a autora acertou na construção não só da personagem principal como de todos os outros e do enredo também.
Shane? Com toda certeza entrou pra minha lista de personagens que eu lamento não existir na vida real, precisamos de mais homens como Shane! Me apaixoneii!
"Entre filmes e lembranças, tudo se mistura."
E no que mais a autora acertou? Comédias românticas!!! O que posso dizer ,o livro é cheio de citações do começo ao fim! E isso é M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O! Eu não tive problema nenhum para relembrar a cenas citadas, pois foram filmes que eu assisti com a minha mãe(uma Kenzi da vida real,risos)e foi fantástico o modo como cada parte de cada filme diferente se encaixavam perfeitamente na historia, simplesmente amei!
Então se eu gostei do livro porque classifiquei ele com nota 4,5? Bom vamos lá, no final eu fiquei esperando um pouquinho(mais só um pouquinho,risos) mais detalhado do que realmente foi, eu criei na minha cabeça um final pouca coisa diferente. Quando cheguei nas ultimas paginas fiquei surpresa? Sim claro! Me decepcionei? Não! Porém queria um pouco mais. Mais isso não estragou a historia nem fez com que ela terminasse chata, não! não!.
Eu confesso que não teria lido se não fosse por causa de uma amiga(Miga, obrigado, você tem bom gosto e mãe valeu por me fazer assistir todos aqueles filmes que eu acabei amando, vocês duas são demais!)mais não me arrependo em nenhum segundo cada hora que passei lendo este livro. Então eu super recomendo pra você que gosta de um bom livro de romance e principalmente se é assim como eu uma fâ de comedias românticas, este livro é pra você, tenho certeza que vai amar!


Vamos ler um conto?

Olá pessoal, tudo bem? 
Acordei louca para colocar algo novo no blog, mas não sabia exatamente o que era, foi então que lembrei desse conto que li recentemente, eu simplesmente adoro essa escritora, é muito difícil alguém passar pela escola e não saber quem é Clarice Lispector, muitos livros usados por alunos possuem vários contos dela e é sempre uma leitura fácil e divertida, a autora também possui livros publicados pela editora Rocco e tem mais apesar de ter nascido na Ucrânia ela se considerava brasileira, então sim ELA É NOSSA. (Se você nunca ouviu falar ou leu nenhum conto dela, um dos seus livros mais lembrados é A hora da estrela também da Rocco)

Fiquem agora com o conto: 
Felicidade Clandestina 

Ela era gorda, baixa, sardenta e de cabelos excessivamente crespos, meio arruivados. Tinha um busto enorme; enquanto nós todas ainda éramos achatadas. Como se não bastasse, enchia os dois bolsos da blusa, por cima do busto, com balas. Mas possuía o que qualquer criança devoradora de histórias gostaria de ter: um pai dono de livraria.

Pouco aproveitava. E nós menos ainda: até para aniversário, em vez de pelo menos um livrinho barato, ela nos entregava em mãos um cartão-postal da loja do pai. Ainda por cima era de paisagem do Recife mesmo, onde morávamos, com suas pontes mais do que vistas. Atrás escrevia com letra bordadíssima palavras como "data natalícia" e "saudade".

Mas que talento tinha para a crueldade. Ela toda era pura vingança, chupando balas com barulho. Como essa menina devia nos odiar, nós que éramos imperdoavelmente bonitinhas, esguias, altinhas, de cabelos livres. Comigo exerceu com calma ferocidade o seu sadismo. Na minha ânsia de ler, eu nem notava as humilhações a que ela me submetia: continuava a implorar-lhe emprestados os livros que ela não lia.

Até que veio para ela o magno dia de começar a exercer sobre mim uma tortura chinesa. Como casualmente, informou-me que possuía As reinações de Narizinho, de Monteiro Lobato.

Era um livro grosso, meu Deus, era um livro para se ficar vivendo com ele, comendo-o, dormindo-o. E completamente acima de minhas posses. Disse-me que eu passasse pela sua casa no dia seguinte e que ela o emprestaria.

Até o dia seguinte eu me transformei na própria esperança da alegria: eu não vivia, eu nadava devagar num mar suave, as ondas me levavam e me traziam.

No dia seguinte fui à sua casa, literalmente correndo. Ela não morava num sobrado como eu, e sim numa casa. Não me mandou entrar. Olhando bem para meus olhos, disse-me que havia emprestado o livro a outra menina, e que eu voltasse no dia seguinte para buscá-lo. Boquiaberta, saí devagar, mas em breve a esperança de novo me tomava toda e eu recomeçava na rua a andar pulando, que era o meu modo estranho de andar pelas ruas de Recife. Dessa vez nem caí: guiava-me a promessa do livro, o dia seguinte viria, os dias seguintes seriam mais tarde a minha vida inteira, o amor pelo mundo me esperava, andei pulando pelas ruas como sempre e não caí nenhuma vez.

Mas não ficou simplesmente nisso. O plano secreto da filha do dono de livraria era tranquilo e diabólico. No dia seguinte lá estava eu à porta de sua casa, com um sorriso e o coração batendo. Para ouvir a resposta calma: o livro ainda não estava em seu poder, que eu voltasse no dia seguinte. Mal sabia eu como mais tarde, no decorrer da vida, o drama do "dia seguinte" com ela ia se repetir com meu coração batendo.

E assim continuou. Quanto tempo? Não sei. Ela sabia que era tempo indefinido, enquanto o fel não escorresse todo de seu corpo grosso. Eu já começara a adivinhar que ela me escolhera para eu sofrer, às vezes adivinho. Mas, adivinhando mesmo, às vezes aceito: como se quem quer me fazer sofrer esteja precisando danadamente que eu sofra.

Quanto tempo? Eu ia diariamente à sua casa, sem faltar um dia sequer. Às vezes ela dizia: pois o livro esteve comigo ontem de tarde, mas você só veio de manhã, de modo que o emprestei a outra menina. E eu, que não era dada a olheiras, sentia as olheiras se cavando sob os meus olhos espantados.

Até que um dia, quando eu estava à porta de sua casa, ouvindo humilde e silenciosa a sua recusa, apareceu sua mãe. Ela devia estar estranhando a aparição muda e diária daquela menina à porta de sua casa. Pediu explicações a nós duas. Houve uma confusão silenciosa, entrecortada de palavras pouco elucidativas. A senhora achava cada vez mais estranho o fato de não estar entendendo. Até que essa mãe boa entendeu. Voltou-se para a filha e com enorme surpresa exclamou: mas este livro nunca saiu daqui de casa e você nem quis ler!

E o pior para essa mulher não era a descoberta do que acontecia. Devia ser a descoberta horrorizada da filha que tinha. Ela nos espiava em silêncio: a potência de perversidade de sua filha desconhecida e a menina loura em pé à porta, exausta, ao vento das ruas de Recife. Foi então que, finalmente se refazendo, disse firme e calma para a filha: você vai emprestar o livro agora mesmo. E para mim: "E você fica com o livro por quanto tempo quiser." Entendem? Valia mais do que me dar o livro: "pelo tempo que eu quisesse" é tudo o que uma pessoa, grande ou pequena, pode ter a ousadia de querer.

Como contar o que se seguiu? Eu estava estonteada, e assim recebi o livro na mão. Acho que eu não disse nada. Peguei o livro. Não, não saí pulando como sempre. Saí andando bem devagar. Sei que segurava o livro grosso com as duas mãos, comprimindo-o contra o peito. Quanto tempo levei até chegar em casa, também pouco importa. Meu peito estava quente, meu coração pensativo.

Chegando em casa, não comecei a ler. Fingia que não o tinha, só para depois ter o susto de o ter. Horas depois abri-o, li algumas linhas maravilhosas, fechei-o de novo, fui passear pela casa, adiei ainda mais indo comer pão com manteiga, fingi que não sabia onde guardara o livro, achava-o, abria-o por alguns instantes. Criava as mais falsas dificuldades para aquela coisa clandestina que era a felicidade. A felicidade sempre iria ser clandestina para mim. Parece que eu já pressentia. Como demorei! Eu vivia no ar… Havia orgulho e pudor em mim. Eu era uma rainha delicada.

Às vezes sentava-me na rede, balançando-me com o livro aberto no colo, sem tocá-lo, em êxtase puríssimo.

Não era mais uma menina com um livro: era uma mulher com o seu amante.


A ruiva mimada colheu o que plantou (finamente uns puxões de orelha) e fiquei feliz pela personagem que no final criou essa relação especial e magica com o livro.

Visite o site feito para a escritora e descubra suas outra obras AQUI

Espero que tenham gostado do conto, foi algo mais descontraído e pretendo fazer mais vezes, não esqueça de comentar sua opinião aqui em baixo. Beijos e até a próxima ->






Eu amo livros nacionais - Giovanna Vaccaro


Olá pessoas lindas do meu coração, hoje se inicia novamente o projeto EU AMO LIVROS NACIONAIS (Se não está por dentro clique aqui e descubra), nossa primeira participante foi a querida Lari Azevedo autora do Minha vida dava um livro (Confira AQUI), se acompanha as redes sociais do blog sabe que durante a semana falei bastante do livro, muitas pessoas gostaram do projeto e já estou conversando com muitos escritores nacionais EBAAA.
-voltando ao post-
PROCURA - SE escrito pela linda da Giovanna Vaccaro (Serio essa garota é muitooo fofa) será o nosso livro da semana. Adquiri meu exemplar recentemente e juro que não foi por falta de esforço, quando encontro a Gi pelos eventos seu livro sempre está esgotado e eu nunca ganho nenhum sorteio :P, mas resumindo consegui finalmente ter esse livro na estante. UFA!

REDES SOCIAIS DA ESCRITORA 


1. Se pudesse trazer algum dos seus personagens a vida qual seria e por que?
Acho que a Callie White, a melhor amiga da protagonista. A Callie é muito bem humorada e muito divertida. Eu gostaria de te-la como amiga, já que somos muito parecidas.

2. Quando começou a escrever seu primeiro livro você imaginou que ele seria publicado e que estaria sendo  lido por muitos leitores?
Definitivamente não! Escrevi "Procura-se" porque ele estava gritando em minha mente e querendo sair. Quando minha mãe leu um pedaço, disse que estava muito bom e fez minha cabeça para aceitar a publicação.

3. Na criação dos personagens você teve alguma dificuldade ou eles foram inspirados em conhecidos?
Acredito que eu não tenho nenhuma dificuldade em relação à criar personagens, o pior problema, acho, é escolher o nome. Em "Procura-se", a Hayley, a prima da protagonista foi inspirada na minha amiga Kimberly, que também veio do Japão.

4. Você acha que por ser autor/autora nacional as dificuldades são maiores? Tanto no mercado quanto com os leitores.
São, sim. Infelizmente, muitos leitores tem aquele caso de "preconceito nacional", onde eles se veem na obrigação de não ler nada que seja de qualquer autor brasileiro, porque acham que é ruim. Isso dificulta muito, mas,  por outro lado, a opinião de muitos leitores começou a mudar e isso está melhorando a cada dia.

5. Como você se sentiu quando recebeu uma mensagem positiva de um leitor pela primeira vez? 
Na nuvens (Hahaha). Foi uma notícia tão boa que eu fiquei pulando pela casa. Estava morrendo de medo das pessoas não gostarem e quando vi que elas haviam gostado, foi uma surpresa maravilhosa!

6. Já teve vontade em algum momento de desistir do livro e começar do início?
Uma vez. Quando contei para meus amigos, eles disseram para não fazer isso porque o livro está ótimo, na verdade. Então não cheguei, de fato, a desistir do livro e começar de novo.

7. Você sempre quis escrever o gênero romance? Pretende se arriscar em outros?
Apesar do meu gênero favorito ser romance, eu amo sagas, New Adult e fantasia, o que facilita muito no meu processo de criação.

8. Tem alguma mensagem para futuros escritores?
Espero que vocês possam ler algum dos meus livros algum dia e espero que levem a história em seus corações. Acredito que uma boa história é uma história que te faz sentir e eu tenho certeza que meu livro faz as pessoas sentirem. 


Pessoal não esqueçam de comentar se então gostando do projeto e acompanhar as redes sociais do blog, vamos ter mais de Procura-se <3 Foi isso então até a próxima ->

PS* Eu tenho uma foto com a Gi, entretanto eu definitivamente estou horrível...Então Giovanna sua linda vamos ter que tirar outra :) 


[Tag] Hábitos de Leitura


Olá Pessoal!
Tudo bem com vocês? Aqui quem fala é a Pamella e hoje trouxe um post diferente, uma Tag. Achei essa Tag no blog Book & Cia e resolvi fazer, pois achei ela muito legal. Ela consiste em responder 7 perguntinhas sobre os meus Hábitos de Leitura. Então vamos a Tag?

1. Quando você lê ? Manhã, tarde, noite, o dia inteiro ou quando tem tempo ?
Olha, eu não tem uma hora especifica para ler não. Quando da tempo ou bate a vontade eu estou lendo, seja no ônibus, em casa, durante uma viagem... A qualquer hora.

2. Você lê apenas um livro de cada vez ?
Eu até tento ler pelo menos dois livros ao mesmo tempo, mas acabo parando um e lendo o outro, para depois terminar de ler o segundo que estava lendo. Mas tento ao máximo ler dois ao mesmo tempo para estimular a memória.

3. Qual seu lugar favorito para ler ?
Nada melhor do que ler na minha cama, adoro ler na minha cama. Me sinto confortável para ler e acho ótimo poder ter mais liberdade para encontrar a melhor posição para leitura.

4. O que você faz primeiro: lê o livro ou vê o filme ?
Depende, eu gosto e prefiro ler o livro antes de ver o filme, mas diversas vezes acabei vendo o filme antes de ler o livro por falta de tempo ou por não saber da existência do livro antes de ver o filme. Percy Jackson e O Ladrão de Raios, Divergente e Se eu ficar (ainda não li o livro, mas pretendo), são exemplos de filmes que eu vi antes de ler os livros.

5. Qual formato de livro você prefere? E-book, áudio-livro ou livro físico ?
Eu até leio e-book, mas a paixão da minha vida mesmo são os livros físicos... Poder sentir o livro em minhas mãos, admirar a capa, sentir o cheiro das folhas, passar a mão na capa... É indescritível a sensação de ter um livro físico em mãos.


6. Você tem um hábito exclusivo ao ler ?
Uso post its para marcar páginas e frases que eu gosto. Antigamente eu marcava apenas a página e com uma lapiseira marcava a frase que gostei, mas com meus post its novos agora posso marcar na altura frase *-*

7. As capas de uma série tem que combinar ou não importa ?
Acho que sim, capas com estilos combinando dão uma identidade a saga. Se fizerem capas nada a ver umas com as outras vai ser muito difícil paras os leitores identificarem e ligarem uma coisa a outra. Então além de capas diferentes ficar bem feio, a saga acaba não tendo uma identidade para ser referida.


Bom, essa foi a Tag. Espero que tenham gostado e que eu possa trazer mais dessas para vocês!

Beijinhos e Até a Próxima!



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...



Layout: Natana Duarte | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©